sexta-feira, agosto 26, 2011

Terceiro e penúltimo conto

Apresento a vocês o terceiro e penúltimo conto da coletânea: IMPRESSÕES DE UM ASSISTENTE DE LEGISTA. Recapitulando: o primeira foi PINGUINHA, segunda MILITAR CONTRA CIVIL e agora O OLHAR DE ANGÉLICA.

Estes contos estão aí no Gadget ao lado, onde se lê: Os contos.

Quando me propus a escrever esta coletânea seguindo o pedido do amigo de Ledimar, busquei usar nomes que se nos arremetesse a algo ou alguém no passado, mas agora que os personagens possuem uma vida própria, inerente do que eu queria ou não que sejam, isso se torna quase impossível.

Toda temática de enredo que faço uso aqui é pura e simples intuição. Formulo muito pouco o que pretendo escrever, dou vazão á minha mente estar livre e criar. È um exercício de intuição. Vou escrevendo e quando vejo que algo já se formou, pronto, paro e limpo o texto. Confesso que estou gostando do exercício, mesmo o tema colidindo com o que pretendo escrever para tornar uma característica de minha vida literária.

Chegando ao fim desta coletânea, já me proponho a buscar outro tema que me instigue.

Lendo outros bloggers e livros de contos, coloquei-me a pensar que isso pode ser uma tolice. Isto de escrever contos. As pessoas, em especial as que vagam no infinito da internet, não estão propensas á parar para ler um conto, algo maior que um post de twitter. Fico cabisbaixo, ao mesmo tempo feliz, pois de certa forma sou um dos que buscam perpetuar um gênero que não se permite desaparecer.

Por quê? Eu sou assim. Assim que sou!

terça-feira, agosto 09, 2011

Depois de Pinguinha, venho com Militar contra Civil

Trago o segundo conto de IMPRESSÕES DE UM ASSISTENTE DE LEGISTA. Depois de Pinguinha, venho com Militar contra Civil.

Quero agradecer aqueles que comentaram aqui no Blog e no Facebook. Confesso que fiquei impressionado pelo numero de pessoas que simpatizam com o tema. Como disse no post anterior, é uma homenagem aos tempos de colégio onde a fantasia pulava o muro do IASP e vagava mundo a fora.

Reencontrar amigos, rever afinidades é o facilitador das redes sociais e das modernas tecnologias, e essa modernidade trouxe uma aproximação mesmo que distante de velhos amigos.

Faço um apelo: Vamos fazer uso das redes sociais em defesa daqueles países que buscam a melhoria de vida de seu povo. Observemos, e sejamos solidários ao fim de ditaduras que nada mais fizeram do que trazer a amargura para muitas pessoas!

Eu apoio o povo do Egito, da Tunísia, da Líbia, do Iêmen e do Barein; na busca de uma democracia onde a tirania deixe de reinar, e a igualdade dos homens se faça presente, e se não for para PAZ, que venha, ao menos, a tranquilidade.

terça-feira, agosto 02, 2011

O amigo de 2,3 metros inspira nova coletânea.

Depois de um tempo sem saber o que dizer em contos, bebendo-me das vicissitudes da sociedade e trabalhando sem descanso na árdua tarefa de escrever. Retorno com uma coletânea de quatro contos inspirado em autopsia. Sugestão do amigo de colégio Ledimar Brianezi. A coletânea: IMPRESSÕES DE UM ASSISTENTE DE LEGISTA. Lembro-me que em nossa época de estudo, em certo momento, quando ainda fazia os primeiros rabiscos do que desejava ser um romance de aventura o “Ledis” surgiu com esse papo de autopsia. Travamos no espaço de tempo do ensino médio, eu, Ledimar e o Edney Junior discursos e teses sobre o assunto, claro, que sempre recheado de fantasias e aventuras. O “Ledis” não se tornou médico legista, mas eu fiz o curso por curtos seis meses, até me dar conta que não era a minha praia! Ledimar. Meu eterno amigo de 2,3 metros, isso mesmo, o Ledimar possuem 2,3 metros de altura! Sei que não conseguirei expor aqui as fantásticas aventuras de necropsia que tínhamos pelos corredores do dormitório masculino do IASP na nossa tenra juventude, mas farei o máximo para aproximar-se delas. Por quê? Eu sou assim. Assim que sou!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...